Quer aprender a tirar arranhões do carro? Saiba mais! - Royal FIC

quer-aprender-a-tirar-arranhoes-do-carro-saiba-mais

Quer aprender a tirar arranhões do carro? Saiba mais!

26 abril de 2019

Na hora de vender o carro, o que mais pesa na avaliação do comprador é a pintura! Pode ter certeza de que se houver riscos e arranhões, o carro será desvalorizado. Alguns arranhões são mais fáceis de ser removidos. Com uma simples aplicação de cera ou massa fina, o problema pode ser resolvido. No entanto, em casos de riscos muito profundos, o mais indicado mesmo, infelizmente, será a pintura da área atingida.

Porém, antes de tomar qualquer atitude, é importante avaliar a gravidade dos arranhões. Quer saber mais? Então fique com a gente!

Faça uma avaliação dos arranhões!

Antes de fazer uma avaliação da gravidade do arranhão, é importante entender mais sobre as camadas que formam a pintura do seu veículo. Na verdade, a pintura possui três camadas, tão finas que juntas equivalem a dois fios de cabelo. A primeira delas é o verniz, seguido da tinta e, por fim, a base que é o primer.

Portanto, faça um teste! Passe a unha pelo risco e se ela ficar presa isso será um sintoma de que o arranhão é fundo mesmo e você só conseguirá remover com pintura. Há uma outra forma de ver se o risco é fundo. Tente identificar se há outra cor no fundo do risco. Se houver, infelizmente o arranhão pode ter afetado o primer, a última camada. Aí, não haverá escapatória também e você vai ter de levar o carro para pintar!

Após tudo isso, conseguiu identificar o tipo de arranhão? Então vamos aprender um pouco sobre os procedimentos que você poderá aplicar!

Cera, massa fina de polimento ou lixa. Qual é o melhor procedimento?

Na verdade, não existe um procedimento que seja o mais eficaz. Cada um deles deve ser aplicado dependendo da gravidade do arranhão. Por exemplo, a cera é recomendada quando o risco for superficial, ou seja, atingir o verniz. Geralmente, a cera tira riscos provocados por unhas de cachorro, rebite de calças jeans, etc.

Já a massa abrasiva costuma remover parte da camada de verniz e, junto a isso, os eventuais riscos superficiais. Só que há um detalhe: é recomendada uma capacidade técnica mais apurada para manipular a máquina de polir. Caso contrário, o estrago na pintura pode ser irreversível. O mais indicado é buscar um profissional qualificado para polimento da peça inteira, evitando "marcar" a região em que a massa foi aplicada. Tome cuidado com a formação de hologramas, chamados de “marcas de boina”. Elas costumam ser provocadas pelo uso irregular da politriz, que é a máquina polidora.

Por último, vamos falar da lixa 2000, que é utilizada com água e funciona muito bem! No entanto, seu uso é indicado apenas por profissionais especializados. Isso porque essas lixas desbastam tanto a pintura que podem afetar as camadas de verniz e até a tinta, deixando a lataria esbranquiçada e opaca.