Cinco dicas para armazenar combustível com segurança no posto! - Royal FIC

cinco-dicas-para-armazenar-combustivel-com-seguranca-no-posto

Cinco dicas para armazenar combustível com segurança no posto!

29 dezembro de 2018

Por ficarem enterrados no solo, os tanques de muitos postos de combustíveis ficam escondidos do olhar do cliente. Por esse motivo, muitos gestores de postos acabam por não se preocupar com a devida manutenção ou substituição dos reservatórios. No entanto, isso é um erro que não deve ser cometido, pois o armazenamento adequado, além de evitar perdas por evaporação, também faz com que você não tenha transtornos com vazamentos e contaminação do solo.

E outro detalhe muito importante: um eventual vazamento e contaminação ambiental pode ser prejudicial para a imagem do posto perante aos clientes, o que comprometerá a lucratividade e desempenho do negócio.

Então, não perca tempo! Confira logo cinco dicas para armazenamento adequado do combustível e não hesite em investir na infraestrutura dos tanques.

1) Cuidados com a contaminação do solo!

Os derivados do petróleo como gasolina e diesel contém substâncias altamente tóxicas ao ser humano, seja pela inalação, contato com a pele ou ingestão. Quando vazam dos tanques e atingem o solo, podem contaminar lençóis freáticos e aquíferos. Para se ter uma ideia, a gasolina, por exemplo, contém 400 substâncias tóxicas dissolvidas, que são cancerígenas e depressoras do sistema nervoso.

2) Chegou a hora de trocar o tanque!

Os tanques de combustíveis enterrados no solo tem vida útil de 25 anos. Após esse prazo, é recomendada a substituição desses equipamentos. O que acontece é que esses tanques são feitos de aço e carbono e com o tempo ficam degradados por conta do pH, umidade e salinidade do solo. O óleo diesel também possui altos teores de enxofre, substância que facilita a deterioração das chapas metálicas dos tanques.

3) Você sabia que os combustíveis tem prazo de validade?

A gasolina, por exemplo, se bem armazenada nos tanques pode durar até seis meses. Existe um teste, o “período de indução”, que é especificado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). O teste funciona da seguinte maneira: uma amostra de gasolina, retirada do tanque, deve resistir à indução de oxigênio, pelo tempo mínimo de 6 horas. Resumindo: a cada 60 minutos de teste equivalem a um mês de estoque, caso o tanque esteja em ótimas condições de luz e calor.

4) Utilize a tecnologia a seu favor!

Atualmente existem inúmeras ferramentas tecnológicas que você pode utilizar em seu posto como o Medidor Volumétrico de Combustível (MVC). A ferramenta garante eficiência para gestão do posto, pois emite a quantidade do volume retirado dos tanques, e além de tudo, o principal: controla por meio de sensores se estão ocorrendo vazamentos nos tanques. Em Santa Catarina, o uso do medidor tornou-se obrigatório.

5) Monitoramento ambiental deve ser sempre solicitado!

Há empresas especializadas e devidamente certificadas por órgãos ambientais que prestam serviços especializados para postos, como o monitoramento ambiental. O sistema de monitoramento envolve a realização de detecção de vazamentos e medição de volume, com a utilização de sensores para indicar possíveis problemas. Geralmente, essas empresas possuem equipamentos com até 48 entradas, com capacidade para monitorar 48 pontos, em simultâneo.